Telefone: (51) 3029-3399

Rua Dona Laura, 320 - 9º andar

(estacionamento convênio na entrada do prédio - 10% desconto) 

Casos de otite aumentam no verão

Os casos de otite aumentam no verão porque as pessoas entram em contato com a água (banhos de mar ou de piscina) com mais frequência. Geralmente, os casos mais comuns do problema envolvem um acúmulo de cerume dentro do ouvido (que funciona como esponja) que, ao entrar em contato com a água, causa um desconforto que pode originar uma infecção do canal auditivo.

Por isso, é importante consultar um médico a qualquer sinal de desconforto no ouvido. Assim, evita-se o desenvolvimento da otite externa comum no verão ou, em caso da doença, trata-se de forma precoce e adequada.

– Além disso, previna-se: antes de qualquer mergulho, verifique as condições da água da praia ou da piscina. No caso da piscina, água sem tratamento pode causar infecções. Também evite ao máximo molhar os ouvidos – mas no caso de molhá-los, seque-os com uma toalha virando a cabeça para o líquido todo escorrer para fora.

Para as pessoas com predisposição à otite, que apresentam alguma lesão no ouvido externo ou sofrem com desconfortos e sabem da existência de cerume, o contato com a água deve ser evitado. A dica de secar o excesso de líquido nos ouvidos com uma toalha e virando a cabeça também deve ser seguido. Em alguns casos, ir a um otorrinolaringologista para realizar uma lavagem (quando há acúmulo de cerume) pode ser o mais recomendado.