Telefone: (51) 3029-3399

Rua Dona Laura, 320 - 9º andar

(estacionamento convênio na entrada do prédio - 10% desconto) 

Dicas para prevenir a otite no verão

Ocupando o primeiro lugar nas urgências pediátricas, a otite é sofrida por 1 em cada 3 pessoas no verão, como consequência das mudanças de pressão, das correntes de ar ou aos mergulhos que nossos ouvidos são submetidos nesta época do ano. Aqui estão algumas dicas para prevenir esta infecção no ouvido.

Sintomas da otite:

A sensação de tamponamento auricular, perda auditiva (hipoacusia) ou autofonia (escutar a si mesmo) devido ao fenômeno de vazio gerado na caixa do ouvido médio faz parte da primeira das fases que compreende os sintomas da otite. Nesta primeira parte, o paciente pode apresentar sintomas de desequilíbrio pelo colapso da platina do estribo no labirinto gerado pela baixa pressão no ouvido médio.

Em uma fase mais avançada podem surgir outros sintomas mais gerais como febre, sensação de cansaço, vômitos ou, inclusive, agitação. Quando o profissional médico realiza a supervisão adequada, observará um tímpano aumentado. Neste momento, em que o tímpano é perfurado e a supuração começa a drenar, os sintomas começam a melhorar, até o ponto de que muitos deles começam a desaparecer progressivamente.

Complicações da otite:

Complicações que podem desvendar essa condição podem variar desde um processo infeccioso-inflamatório conhecido como mastoidite aguda, a contaminação do labirinto por parte do vírus chamado labirintite serosa, paralisia facial pela retenção da supuração ou lesão do nervo facial ou meningite, embora esta última apareça em casos muito raros.

Como prevenir a otite no verão:

Estudos confirmam que no verão 1 de cada 3 pessoas sofre otite, por isso que, agora mais do que nunca, é quando devemos prestar atenção à saúde dos nossos ouvidos. Em Saúde Dicas te propomos algumas dicas para levar em consideração.

Temos que tomar pelo menos dois litros de água por dia, dado que a desidratação pode causar zumbido, pela redução do volume de sangue em circulação e por uma pressão arterial mais baixa do que o habitual. As crianças e os idosos são mais propensos a sofrer este tipo de situação, por isso temos de ter o cuidado para que consumam todo o líquido necessário em dias mais quentes.

As mudanças de pressão quando viajamos de avião se convertem em outro cavalo de batalha que deve ser enfrentado por muitas pessoas, mais sensíveis a essas mudanças. Estas mudanças de pressão podem gerar desconforto auditivo até o ponto de se tenha uma perda auditiva temporária. Nestes casos, devemos evitar cair no sono na decolagem e na aterrissagem. Para destampar, podemos bocejar, mastigar chicletes ou balas.

Mas, se temos que ter cuidado ao viajar de avião, também é o mesmo quando o fazemos carro. Neste último caso, é preciso evitar a entrada de pólen quando baixamos a janela, porque pode piorar os sintomas de alergia e danificar o nosso sistema auditivo.

É a época de praia e de piscinas, ambientes aquáticos nos quais temos de tomar precauções para proteger a saúde dos nossos ouvidos e prevenir a formação de uma infecção no ouvido. A este respeito, temos de garantir que a água não esteja contaminada para não sofrer infecções de ouvido, mergulharmos lentamente na água, para que esta não penetra abruptamente em nossos ouvidos e manter as orelhas limpas e secas após cada lavagem.

Os aparelhos de ar condicionado diminuem os níveis de umidade ambiental gerando como consequência uma atmosfera gélida e seca muito artificial, que terminará afetando as nossas vias respiratórias.

Quando voltamos de feiras ou concertos, temos de nos afastar de ruídos muito fortes ou localizados a uma curta distância. Também, devemos evitar o uso de cotonetes, porque podem prejudicar o sistema de limpeza natural dos nossos ouvidos.

Em qualquer caso, diante de qualquer sintoma ou desconforto, é aconselhável procurar o nosso médico especialista.