Telefone: (51) 3029-3399

Rua Dona Laura, 320 - 9º andar

(estacionamento convênio na entrada do prédio - 10% desconto) 

Pólen das flores favorece surgimento da rinite alérgica

Desde o início da primavera, algumas doenças se tornam mais frequentes, principalmente as que estão relacionadas ao desabrochar e polinização das flores, como é o caso da rinite alérgica. Esse problema pode provocar espirros, produção de muco, congestão nasal, lacrimejamento e coceira no nariz e nos olhos.

“A rinite alérgica é uma inflamação crônica das mucosas da cavidade do nariz, desencadeada devido a uma reação exagerada do sistema imunológico às partículas alergênicas presentes no ar”, explica o otorrinolaringologista da Clínica Otorrinos em Porto Alegre, Prof. Dr. Geraldo Druck Sant'Anna.

O tratamento da rinite alérgica deve ser baseado na redução da exposição aos alérgenos desencadeadores das crises e de acordo com a severidade do quadro. Desta forma, é muito importante enfatizar que o paciente com rinite alérgica realize acompanhamento frequente com seu médico, não só nos períodos de crise.

“Pacientes com sintomas leves ou moderados, e que não persistem pela maior parte do ano, são tratados com antialérgico e medicamentos tópicos nasais (anti-inflamatórios). Já os que não respondem a este tratamento têm indicação de utilizarem as vacinas (imunoterapia), que duram pelo menos por 12 meses e apresentam ótimos resultados”, finaliza Dr. Sant'Anna.