Início
Horário Atendimento
Convênios
Saiba mais
Notícias
Destaques Otorrinos
Procurar
Receba o News
 
  Início
Cuidados com a Voz PDF Imprimir E-mail

Uma boa voz depende da saúde e harmonia de todo o corpo. Para manter a sua voz saudável observe os seguintes itens:

Hidratação:
as pregas vocais vibram muito rápido para produzir a voz, exigindo uma mucosa solta e flexível, para que isso ocorra de modo livre e com atrito reduzido é essencial que a laringe esteja bem hidratada. Beba bastante líquido, água principalmente, ao longo de seu dia. Nunca beba água gelada quando estiver falando.

Repouso:
como qualquer atividade física, a voz exige um gasto de energia para que as pregas vocais vibrem. Quando falamos demais pode ocorrer fadiga vocal. Nesta situação percebe-se que a voz sai mais baixa e mais fraca.
Necessitamos em média 8 horas de sono diariamente para repor as energias. Quando não conseguimos dormir bem, pode-se perceber voz rouca e fraca pela manhã. Por isso, para manter uma voz saudável respeite seu tempo de sono para que o organismo recupere as energias.

Fumo:
o cigarro é nocivo à sua laringe e às pregas vocais, age diretamente sobre a mucosa causando irritação, além de agredir todo sistema respiratório. O fumo é considerado um dos principais fatores desencadeantes do câncer de laringe e pulmão.

Álcool:
provoca inchaço nas pregas vocais e uma leve anestesia na faringe com redução da sensibilidade desta região; deprime o sistema nervoso central inibindo a censura. Como conseqüência uma série de abusos vocais podem ser cometidos, sem que se perceba e somente serão notadas após o efeito da bebida: ardência, queimação, voz rouca e fraca.

Hábitos vocais:
pigarrear, tossir e "raspar" a garganta para limpá-la, causam alterações nas pregas vocais pelo atrito que ocasiona. Para evitar o pigarro beba água para mantê-las hidratadas. Evite conversar sussurrando e cochichando, isso exige um grande esforço para a produção natural da voz. Ao falar mantenha a voz numa intensidade moderada, isto é nem tão forte, para não machucar as pregas vocais e também nem tão fraca, pois acaba prejudicando o entendimento do ouvinte.

Vestuário:
evite usar roupas apertadas. Na região do pescoço onde está a laringe (gravatas, colares e lenços) e na cintura os cintos e as faixas dificultam a movimentação do músculo diafragma que é importante para o suporte respiratório da fonação.

Alimentação:
chocolates e derivados do leite aumentam a viscosidade do muco no trato vocal e com isso induzindo a produção do pigarro. Os alimentos condimentados lentificam a digestão e dificultam a movimentação do diafragma. Prefira alimentos leves, como verduras, legumes e frutas e mastigue bem, pois além de serem mais saudáveis também relaxam os músculos da mandíbula, língua e faringe, propiciando uma melhor dicção.


***Alergias:
 as alergias das vias aéreas (bronquite, asma, rinite, laringite) muitas vezes ocasionam edema (inchaço) e inflamação da mucosa do nariz e podem provocar alteração na respiração (você passa a respirar pela boca), além de acarretar outros problemas, tais como: rouquidão, afonia (perda da voz) e modificações na ressonância. Quando estiver em crise alérgica faça repouso vocal, beba bastante líquidos e procure atendimento médico.

Drogas:
o uso de drogas inalatórias e injetáveis são prejudiciais tanto para a sua saúde em geral quanto para sua voz. Provocam ressecamento na laringe, danos à mucosa do trato vocal e lesões no septo.

Poluição:
pode ocasionar modificações na voz e na laringe de forma aguda ou crônica. A fumaça e produtos químicos que estão no ar podem comprometer a árvore respiratória das narinas até os pulmões.Os sintomas mais comuns ligados à poluição são: dificuldades ao respirar e também irritação na boca, língua e nariz. Há também a poluição sonora, que além de trazer danos à audição também pode provocar danos à voz, uma vez você acaba falando mais forte. Profissionais que estão expostos a ruídos intensos (trabalhadores da construção civil, aeroportos) devem usar medidas de proteção, tais como: protetores auriculares e fones de ouvido.

Ar condicionado:
ambientes refrigerados reduzem a umidade do ar e ocasiona o ressecamento do trato vocal, fazendo com que você faça mais esforço ao falar. Nestes casos beba bastante água para manter as suas pregas vocais hidratadas.

Temperatura:
modificações de temperatura podem favorecer o surgimento de infecções respiratórias e com isso prejudicar a sua voz. Evite mudanças bruscas de temperatura.

Esportes:
se você pratica esportes como: o boxe, musculação, tênis e vôlei, evite conversar durante a atividade física, pois estes esportes direcionam a tensão muscular na região do pescoço, costas e ombros, contribuindo para que sua voz fique tensa e comprimida.

Medicamentos:
medicamentos usados para tratamento de alergias e infecções provocam ressecamento da "garganta"; os diuréticos e remédios para dormir dificultam a emissão da voz.

Hormônios:
os hormônios estão diretamente ligados com modificações da voz desde a puberdade até a idade adulta. Nas mulheres a voz sofre uma discreta alteração durante o período pré-menstrual, durante a gestação e uso do anticoncepcional. Mulheres que apresentam sinais de tensão-pré-menstrual, como, por exemplo, irritar-se facilmente e tendências à depressão possuem maiores chances de ter alterações vocais (voz rouca, grossa, cansaço ao falar) durante o ciclo da menstruação.

Refluxo gastroesofágico:
é o retorno do suco gástrico do estômago que passa pelo esôfago e atinge a boca. Este refluxo pode atingir a laringe e as pregas vocais e ocasionar alterações na voz. Evite ingerir alimentos muito condimentados, gordurosos, derivados do leite, dietéticos, pois favorece o aparecimento do refluxo gastroesofágico. Um dos sinais do refluxo são a sensação de "bola na garganta", pigarro constante, mau hálito, erosões dentárias, saliva "grossa", rouquidão. Cuide para não deitar após as refeições, espere no mínimo por duas horas.

Caso você sinta cansaço ao falar, ardência, dor de garganta, perda da voz, rouquidão e estes sintomas persistirem por mais de 15 dias procure atendimento médico. Não se assuste, mas estes podem ser os primeiros sinais e sintomas de um câncer de laringe.

Cuide de sua saúde, cuide de sua voz !

Fonoaudiólogas:
Maria Elza Kazumi Yamaguti Dorfman
Lauren Medeiros Paniagua

 
< Anterior
 
 
Indique para um amigo
Seu e-mail:
Seu nome:
E-mail do amigo:

Rua Dona Laura, 320 • 9º andar • CEP 90430-090 • Bairro Rio Branco • Porto Alegre/RS | Fone: (51) 3029-3399 | Fax: (51) 2108-8830
Site idealizado e desenvolvido por Dableoecê Comunicação